Navegar é preciso; viver não é preciso

 

Mapa como empresa

Um organograma astrológico
Por Patrícia Valente

Conhecer e compreender Astrologia foi e é uma das experiências mais envolventes e fascinantes da minha vida e a partir do momento em que comecei a ensinar essa rica área do conhecimento humano ficou muito mais estimulante e desafiador.

À medida que fui ensinando, percebi a necessidade de elaborar uma forma de raciocínio mais estruturada para que os alunos melhor aprendessem e apreendessem os novos conhecimentos astrológicos que iam adquirindo. Assim, a partir de uma definição fornecida por um estimado professor meu, Cid Marcus Vasques, bem como de minhas experiências pessoais no mundo corporativo, desenvolvi a idéia de abordar e estudar o mapa astrológico como se faz com uma empresa. A essa idéia chamei de MAPA S/A.

Neste primeiro momento, por se tratar de uma abordagem um tanto inusitada, apresentarei o organograma astrológico apenas com seus componentes principais, os planetas Sol, Lua, Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão.

Antes de adentrar por esta nova forma de olhar o mapa, quero lembrar que a Astrologia classifica os astros de variadas maneiras, mas é a partir da que se segue que desenvolverei minha reflexão.

Planetas Pessoais: Sol, Lua, Mercúrio, Vênus e Marte
Planetas Sociais: Júpiter e Saturno
Planetas Geracionais: Urano, Netuno e Plutão

Ora, sabemos que toda empresa precisa de uma liderança, alguém que comande, um presidente, enfim. Cabe a ele orientar sua equipe de trabalho para que a empresa cumpra sua vocação, atenda a seus objetivos. No MAPA S/A também temos um líder, o SOL. É ele quem lidera, preside e comanda o mapa astrológico. Representa o “eu” e, assim como no sistema solar, é ao redor dele que os demais astros orbitam e a quem servem. Ele está no topo do organograma.

Outro astro fundamental no nosso mapa é a LUA. Apesar dela não participar diretamente do organograma, afeta-o intensamente. Ela é a primeira-dama, companheira do presidente, o Sol. E, caso ela não seja devidamente considerada, trará à vida do presidente muita turbulência, dificultando sua capacidade de brilhar plenamente. Por isso, é imprescindível que ela seja bem atendida.

A vontade do presidente da empresa precisa ser comunicada a todos e esse papel cabe a outro colaborador solar, o planeta MERCÚRIO. Ele é o assessor de comunicação da empresa e é responsável pelos comunicados, divulgações, declarações. É quem emite e recebe as informações no mapa. Tanto pode estar afinado com o presidente como destoando completamente.

Quem faz os contatos, cuida das relações interpessoais, se preocupa com as questões estéticas e harmônicas da empresa é o relações públicas, o planeta VÊNUS. Assim como o assessor de comunicação, tanto pode estar em harmonia com a vontade presidencial como não estar.

Alguém na empresa precisa por em prática, realizar as orientações presidenciais, assim o executivo dessa organização é MARTE. Ele executa, realiza, faz a vontade solar acontecer. Se o fará harmonicamente ou não já é outro assunto.

Esse primeiro time atua de forma contínua na empresa e em contato estreito com o presidente, são os Planetas Pessoais.

No ambiente externo à empresa, porém em contato estreito com ela, encontramos dois outros colaboradores. O primeiro deles é um grande apoiador, um patrocinador disposto a ajudar sem muitas restrições. Traz expansão e benesses para a empresa quase que de forma gratuita. É JÚPITER no mapa astrológico, sempre uma fonte de crescimento e expansão. O segundo é o fiscal, o corregedor, o auditor: SATURNO. Também se encontra no ambiente próximo, porém externo à empresa. Quando este encontra a empresa empenhada e comprometida com seus objetivos torna-se seu grande aliado, podendo se transformar num consultor. Estes são os Planetas Sociais.

Em âmbito conjuntural, externo à empresa e mais distantes do ambiente próximo, encontramos outras três poderosas forças. A primeira delas é a inovação, a tecnologia, os imprevistos, o sindicato, as associações de classe, ou seja, URANO. A segunda é a idealização, a inserção no coletivo, os enganos, os esquemas: NETUNO. E por fim temos as transformações conjunturais que nos convidam a mudar, controlar, renovar ou sucumbir, PLUTÃO.

Organizando o raciocínio, temos:

• SER – vontade central: SOL – Presidente – planeta pessoal
• EMOCIONAR, MOTIVAR : LUA – Primeira-dama – planeta pessoal
• COMUNICAR : MERCÚRIO – Assessor de Comununicação – planeta pessoal
• RELACIONAR, VALORIZAR: VÊNUS – Relações Públicas – planeta pessoal
• AGIR: MARTE – Executivo – planeta pessoal

• EXPANDIR: JÚPITER – Patrocinador – planeta social
• ESTRUTURAR: SATURNO – Auditor – planeta social

• INOVAR: URANO – Tecnologia – planeta geracional
• IDEALIZAR: NETUNO – Coletivo – planeta geracional
• RENOVAR: PLUTÃO – Transformar – planeta geracional

Como cada membro dessa equipe desempenhará suas funções vai depender de suas condições fundamentais. Isto é, no mapa astrológico os astros devem ser analisados de acordo com suas Dignidades e/ou Debilidades Essenciais. Futuramente falarei a respeito.

Para concluir, a proposta desta reflexão é mostrar que tão importante quanto aprender conceitos astrológicos, que são inúmeros e fundamentais, é preciso pensar a Astrologia inserida no cotidiano de nossas vidas. Experimente também.

Compartilhar: Facebook Google Buzz LinkedIn Orkut Twitter Email

Se você gostou deste texto e pretende usá-lo todo ou em partes, por favor, dê os devidos créditos (autoria e fonte) e me informe via e-mail. Além de me deixar muito feliz, atitudes como esta contribuem para tornar o mundo mais ético.

Contato

 

Para entar em contato comigo:
patricia@patriciavalente.com.br